Coaching: qual a origem do conceito?

No encontro de hoje, faremos uma breve viagem no tempo para entender a qual época e contexto histórico se credita o início da concepção do termo “coaching”, como o entendemos nos dias de hoje. Trata-se de uma jornada muito interessante que vai desde um interesse econômico e estratégico há mais de 700 anos por parte de uma pequena aldeia europeia, chegando até uma infinidade de abordagens e aplicações das mais diversas para o desenvolvimento de indivíduos em contextos que vão do esporte até metas e visões de grandes corporações.

O início de tudo data nos anos de 1300, na aldeia de Kocs, localizada no leste europeu dentro da Hungria. Essa aldeia possuía localização privilegiada entre as capitais Viena e Budapeste e, à medida que estas duas cidades foram crescendo, o tráfego decorrente das relações de comércio também aumentou, favorecendo o carro chefe da economia de Kocs, que era o transporte. Surgiu aí uma inovação no transporte a partir do trabalho de ferreiros da pequena aldeia, que criaram um primeiro protótipo do coche. Essa tecnologia recém-criada alastrou-se pela Europa e levou o nome de “coach” dentro da Inglaterra. É importante ressaltar que a figura do cocheiro também apareceu junto com o surgimento do coche (também chamado de carruagem).

Já no século XVIII, após a rápida disseminação do termo por toda a Europa, que era até então um meio de transporte que conduzia pessoas ao lugar desejado, houve a primeira associação de coach com o ser humano. Coach passou a ser também usado em contextos educacionais à medida que professores particulares exerciam o papel de tutores que apoiavam seus alunos conduzindo-os ao conhecimento de forma catalisada.

Já na segunda metade do século passado, temos as origens da prática do coaching dentro de modalidades esportivas nos Estados Unidos, quando os treinadores (coaches) extrapolavam o cuidado com o físico dos atletas vinculando a sua performance ao mental e ao emocional também. Nesse ponto da história vale a indicação de leitura do Jogo interior do Tênis, de Timothy Gallwey, que mostra bem um exemplo de como esses coaches americanos passaram a usar o coaching para gerar verdadeiro aprendizado e performance em seus atletas.

Do treinador que une corpo e mente do atleta e conseguiu resultados e avanços ímpares a partir do aperfeiçoamento e aplicação da metodologia, chegou-se até o coach executivo, na década de 1980. Chegamos então ao nosso tempo atual, quando o coaching tem sido cada vez mais aplicado, reconhecido e estudado por diversas áreas do conhecimento humano. Vale destacar que o coaching cresceu muito no esporte, migrou e tomou conta do mundo dos negócios e está voltando a tomar conta do esporte com mais força ainda do que quando dali partiu.

 

Dário Neto
ECI Consultoria e Serviços
LinkedIn
Facebook
Google Plus
Twitter

Deixe um comentário